ENTRE GÊNEROS por Diego Ciarlariello

DESCONSTRUÇÃO, PERFORMANCE, ARTE, GÊNERO E PRECONCEITO EM EXPOSIÇÃO


Drag queens, Travestis, Transexuais, Andróginos, entre outras formas de cruzamento das fronteiras de gênero estão saindo das margens da sociedade. O que leva a uma maior visibilidade social e ainda a certo reconhecimento político.
O trabalho foi apresentado inicialmente em 2016 no SESC Quitandinha (de agosto à outubro), e em 2017 no Sesc Tijuca (de Março a Abril). Traz um olhar voltado para temas atuais da sociedade, os gêneros que sempre existiram e que ganham força em suas várias formas e lutas por reconhecimento e respeito. A exposição é a primeira do fotógrafo, que trabalha com diversos artistas e em 2012, ganhou o prêmio de Melhor Fotografia no concurso Revela São Paulo.
A mostra revela a força de cada um dos retratados, que acaba sendo não apenas individual, pois eles representam, com afirmação, um grupo marginalizado pela sociedade. Essas pessoas são importantes, porque dão maior visibilidade e atraem os holofotes para si próprias e para questões que ainda precisam ser discutidas. Destaca-se assim, as androgenias e as transgressões em várias épocas, desde pioneiros como Ney Matogrosso.
As fotos tem ênfase a algum detalhe marcante, seja na postura, na expressão, na vestimenta: “as armas” dos retratados para se comunicarem. Teoria a qual Judith Butler, filósofa e feminista defende: a questão de “performatividade”. São imagens inéditas de artistas que questionam estereótipos de gênero por meio da militância e da arte.
A ideia é mostrar artistas, intelectuais e ativistas que são livres, que quebram paradigmas e que afirmam ser o que são de verdade, retratando essas pessoas como elas se mostram para o mundo.
Em Petrópolis, a mostra foi vista por mais de 6 mil pessoas, o que surpreendeu a organização do Sesc, demonstrando quão o tema é importante e de interesse do público.
Diego toca, aborda e questiona assuntos atuais e importantes da contemporaneidade como diversidade, autonomia, direitos e liberdade. Mesmo num mundo extremamente preconceituoso e conservador, os retratados se mostram corajosos em viver fora dos padrões normativos da sociedade. Gênero é fluido, socialmente construído, performado e sistêmico e isso é o que as fotos dessa exposição mostram.

RETRATADOS
·Aretha Sadick
·Assucena Assucena e Raquel Virgínia
·Caio Prado, Daniel Chaudon e Diego Moraes
·Candy Mel
·Gael Badaró
·Jacqueline Rocha Côrtes
·João W. Nery
·Johnny Hooker
·Laerte Coutinho
·Leci Brandão
·Lia Clarck
·Lineker
·Liniker
·Linn da Quebrada
·Ney Matogrosso
·Pablo Vittar
·Rico Dalasam

Quem tiver interesse em contratar a exposição, entre em contato.
diegociarlariello@gmail.com
https://www.diegociarlariello.com/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s